23 de Julho de 2009
Quero encaminhar essa notícia para...

Publicada em 09/12/11

Sob o comando de Bernardinho, Unilever começa luta pelo 8º título da Superliga

A estreia será neste sábado (10/12), às 15h00, no Maracanãzinho (SporTV), contra o Sesi/SP, "um adversário difícil, com elenco de alto nível", segundo o treinador

A equipe de vôlei da Unilever, comandada pelo técnico Bernardinho, dá início, neste sábado (10/12), à caminhada em busca do oitavo título da Superliga Feminina. O jogo, contra o Sesi/SP, às 15 horas, no Maracanãzinho, terá transmissão ao vivo do SporTV. Os ingressos custarão R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). A bilheteria será aberta às 12h30 e os portões de acesso ao ginásio às 13 horas, duas horas antes do início da partida. O torcedor que apresentar na bilheteria o cartão pré-pago do Metrô, válido e com créditos, terá entrada franca.

Na avaliação de Bernardinho, o Sesi é um adversário difícil, com um elenco de alto nível. "Elas disputaram o Campeonato Paulista e estão com um ritmo de jogo melhor do que o nosso. Contam com grandes jogadoras, como a Natália (meio-de-rede), a Elisângela (oposta), que atravessa uma fase espetacular, e a Dani Lins (levantadora), um de nossos diferenciais na última temporada, quando chegamos a mais um título", comenta. "Osasco, Unilever, Vôlei Futuro e Sesi despontam como favoritos, mas equipes como Minas, Pinheiros, Mackenzie, Praia Clube e São Bernardo vão certamente incomodar e dar trabalho durante a competição."

Para o treinador, a Superliga torna-se ainda mais equilibrada com o novo sistema de pontuação, que segue o modelo da Federação Internacional de Vôlei (FIVB). De acordo com o novo modelo, a vitória por 3x0 ou por 3x1 valerá 3 pontos. O time que ganhar por 3x2 levará 2 pontos e o perdedor, 1. Já a derrota por 3x0 ou 3x1 não vai valer pontos.

Heptacampeã nacional, a Unilever conta, mais uma vez, com um elenco competitivo na temporada 2011/12. As campeãs olímpicas Sheilla (oposta), Mari (ponteira), Fabi (líbero) e Valeskinha (meio-de-rede) permanecem no time, assim como as ponteiras Régis e Amanda, as meios-de-rede Juciely e Mara, a oposta Juliana Nogueira, a levantadora Roberta e a líbero Juju Perdigão. As novidades ficam por conta da chegada da levantadora Fernanda Venturini, que volta a jogar após quatro anos longe das quadras, da ponteira Natália e da jovem meio-de-rede Ana Carolina, a Carol.

No jogo de estreia, Bernardinho ainda não contará com a ponteira Natália, em fase final de recuperação de dores na canela esquerda. A jogadora já treina com bola, mas ainda não tem data de retorno definida.

A campeã olímpica (Pequim/08) Valeskinha, uma das mais experientes do grupo da Unilever, lembra que o Sesi leva vantagem por contar apenas com duas jogadoras da seleção brasileira: Sassá e Dani Lins. "Nós recebemos quatro jogadoras da seleção (Fabi, Sheilla, Mari e Juciely). É sempre mais fácil encaixar duas peças no contexto do que quatro", comenta. Segundo Valeskinha, que tem três títulos nacionais pela Unilever, a adoção do novo sistema de pontuação trará ainda mais emoção à disputa. "As equipes serão obrigadas a ter ainda mais atenção para não permitir que a decisão vá para o quinto set. Esse pontinho a menos pode fazer falta no final", lembra.

Redação Eagora