23 de Julho de 2009
Quero encaminhar essa notícia para...

Publicada em 03/09/13

Régua gestacional permite que gestantes acompanhem em detalhes a evolução de seus bebês durante a gr

Método consiste na reunião de imagens do feto em diferentes idades gestacionais. Pais também podem optar pela impressão em 3D para recordação do período

A associação de imagens do feto em diferentes idades gestacionais agora se tornou um novo mimo para os papais e mamães que desejam ter uma recordação detalhada do período de gestação. A novidade, batizada de Régua Gestacional, já está disponível no Alta Excelência Diagnóstica, laboratório voltado para o segmento Premium, para as gestantes que desejam acompanhar em detalhes a evolução de seus bebês.

O Dr. Heron Werner, ginecologista, obstetra e especialista em Medicina Fetal da marca, e idealizador do projeto, revela que o método possui este nome, pois o acompanhamento é feito mês a mês, com imagens produzidas de forma sequenciada. Para a geração das fotos, a gestante deve realizar uma ultrassonografia comum no laboratório. "Apenas pelo exame de ultrassom já conseguimos reproduzir as imagens da face do bebê e observar toda a sua evolução quando as comparamos em idades gestacionais diferentes. Reunindo as imagens da ultrassonografia com a ressonância magnética, conseguimos reproduzir a imagem completa do feto, com face e corpo", explica o médico.

Com o apoio dos profissionais do Instituto Nacional de Tecnologia (INT) e da empresa Tecnologia Humana 3D, do Rio de Janeiro, parceiros do projeto, ainda é possível realizar a impressão das imagens em 3D. "Além da régua virtual, os pais podem ter como recordação moldes em resina com as diferentes idades gestacionais do feto", afirma o Dr. Werner. A impressão é feita pela equipe multidisciplinar do INT, que desenvolve projetos e pesquisas nas áreas de modelagem tridimensional física e virtual.

A Tecnologia Humana 3D compreende a elaboração de arquivos tridimensionais, vídeos e impressões físicas em três dimensões. Os arquivos podem ser impressos por meio de software de modelagem 3D e (ou) tecnologias de obtenção de imagens como scanners 3D (laser, luz branca estruturada e kinect) e (ou) tecnologias não invasivas de obtenção de imagens médicas (ultrassonografia 3D, Ressonância Magnética e Tomografia Computadorizada).

Na área de medicina fetal, a técnica de impressão em três dimensões era utilizada exclusivamente para pesquisas médicas e está há pouco mais de um ano disponível para o público final. Os trabalhos e pesquisas desenvolvidos com a tecnologia se aplicam a diversas áreas da ciência como Arqueologia, Artes, Design, Engenharia, Esportes, Geologia, Medicina e Paleontologia.



RMA Comunicação | dasa@rmacomunicacao.com.br

Renata Viana (11) 2244-5953 | 98536-8259